O QUE ESTÁ POR TRÁS DA CRUZ?

O QUE ESTÁ POR TRÁS DA CRUZ?

Entre a idolatria e a redenção, mil caminhos. Repete-se exaustivamente, o que está por trás da cruz? Inquieta, polemiza, incomoda. Faz pensar: se é mistério, porque tão escancarado? Desnudo. Se é profundo, porque tão estético e decorativo? 

A cruz não é talismã. Não é objeto de superstição. Não é símbolo de morte. A cruz não é relativista. Não é colonizadora. Não é autoritária. Não é sinal de fraqueza. Não é figuração. Não é pressuposto ou argumento para nossa carência.

A cruz é o amor que não coube na palavra (e nem caberia). É a atitude máxima de sentido. É a vitória sobre o mal. É a resposta para o ódio e a perseguição. É o abandono total e absoluto de confiança no Pai. É a obediência. É a escuta. É o silêncio. O que está por trás de tudo isso? Nada. Pois é na frente que Cristo está. Atualizado no mistério eucarístico, dia após dia, nos altares espalhados pelo mundo. Está na frente, absolutamente exposto, o Amor que é pessoa. Inteira. Santa. Forte. Imortal. Na coleção dos nossos agoras, repetindo: Eu estou aqui, sim, Eu estou aqui. Não sofrendo por você, mas vencendo a dor por você, vencendo a morte por você, vencendo o pecado por você. E estarei incansavelmente olhando em seus olhos, ainda que ignorado, mergulhado em nossa unidade eterna, esperando mais uma volta sua. Vem. Vem. Vem.